QUAIS OS RISCOS DE ABRIR UMA FACTORING

Quais os riscos de abrir uma factoring?

Como qualquer empresa ou instituição que trabalhe com crédito, uma factoring pode ficar exposta a diversos tipos de riscos, devendo tomar todos os cuidados para conviver cotidianamente com eles e tomando as decisões mais acertadas para contorná-los de forma satisfatória.

Os riscos mais comuns para uma factoring são operacionais, de crédito, jurídicos e do próprio mercado financeiro, mas é exatamente dessa forma que as coisas funcionam, uma vez que oferecer crédito para quem precisa é, em primeiro lugar, um negócio arriscado.

No entanto, uma factoring também é uma excelente oportunidade de negócios e, se o empreendedor possui um capital para ser investido, não há porque não aproveitar.

Sendo uma boa oportunidade de conseguir lucros, a factoring vai exigir que o empresário saiba analisar o mercado financeiro e seus clientes, de maneira a se proteger contra os possíveis riscos que possam apresentar, não apenas com a inadimplência, mas também com relação a golpes que podem ser aplicados.

Uma factoring é uma empresa e não serviço de agiotagem

Para poder superar os riscos de uma factoring é preciso entender que existe uma diferença muito grande entre os serviços fornecidos pela empresa e a agiotagem. Existe muita gente que confunde os dois tipos de oferta de crédito e, portanto, o empresário deve atuar dentro dos limites criados para esse tipo de fornecimento de crédito.

Ou seja, uma factoring só pode fornecer crédito para empresas através da compra de títulos ou outros tipos de dívida devidamente comprovados, e não para pessoas físicas. As empresas clientes devem estar totalmente legalizadas e formalizadas junto aos órgãos públicos.

Um dos maiores riscos para a factoring é a inadimplência e, dessa forma, a análise dos clientes que procuram crédito, ou seja, que procuram vender seus títulos, deve ser criteriosa ao máximo, bem como dos seus próprios clientes, aqueles para quem a empresa ofereceu serviços ou produtos.

Análise de risco: procedimento essencial para a factoring

A análise de riscos é o procedimento que deve ser aplicado para evitar qualquer tipo de problema com inadimplência ou com possíveis golpes perpetrados por empresas clientes.

Os profissionais responsáveis devem saber se os riscos apresentados pelas empresas são ou não aceitáveis e, no caso de haver qualquer risco, saber qual a remuneração mais adequada para aceitar a empresa como cliente.

Através da análise de risco será possível identificar e analisar os componentes básicos, que são o valor apresentado pela empresa cliente, a possibilidade de ocorrência de um golpe ou inadimplência e o impacto que um risco pode apresentar para a factoring.

Evitar riscos é uma forma de garantir que a factoring tenha a sustentabilidade necessária para permanecer no mercado e, por isso, é preciso levar em conta se algum deles pode ser conhecido ou desconhecido.

Assim, se for conhecido, pode-se antecipar tomar medidas para minimizar as consequências, ou seja, deve-se encontrar meios de enfrentar a situação procurando evitar perdas financeiras que prejudiquem as atividades da empresa.

Como prever a possibilidade de riscos

Para a factoring, é preciso entender que não existem riscos que possam ser considerados genéricos e, em razão disso, é essencial saber todos aqueles a que a empresa se sujeita, em cada negócio realizado e com cada cliente trabalhado.

Existem algumas ocorrências que não dependem única e exclusivamente do cliente e, somente depois de surgirem é que se pode identificar e mensurar as consequências trazidas para a factoring.

Evidentemente, se os responsáveis pelas análises não forem um tanto ousados, a factoring não irá ter bons resultados financeiros. Assim, é preciso não apenas conhecer os possíveis riscos apresentados pelos clientes, mas também mensurar a relação custo-benefício que um determinado risco pode oferecer.

Ou seja, mesmo havendo risco de inadimplência, é preciso saber o quanto a factoring poderá ganhar, já que uma análise mais criteriosa e mensurada é uma oportunidade de lucros. Muitas vezes, mesmo que determinado cliente apresente uma situação duvidosa, a empresa pode atender suas necessidades e conseguir bons resultados, enquanto que, sem uma análise criteriosa, um risco mínimo pode provocar sérios prejuízos.

Para que a factoring possa medir o grau de risco que uma operação pode oferecer, deve considerar principalmente dois eventos: a probabilidade de sua ocorrência e a gravidade do impacto que poderá trazer à empresa.

Como sabemos que os principais riscos para a factoring são a inadimplência e possíveis golpes, é essencial trabalhar com a sua prevenção, identificando sua possibilidade, buscando meios para eliminar ou minimizar os impactos que podem ser causados e, principalmente, manter uma reserva de capital para cobrir os possíveis e inevitáveis problemas decorrentes da oferta de crédito.

Olha este post que sensacional para você: Gestão para Factoring – como ter 100% de assertividade?

Analisando a situação sob este aspecto, portanto, aos responsáveis pela análise de crédito não cabe agir impulsiva ou intuitivamente, já que, nessa condição, certamente a factoring será levada a erros e riscos inevitáveis.

Entende-se que uma factoring apresenta uma série de vulnerabilidades e a tendência normal é que essas vulnerabilidades não sejam reconhecidas de imediato, mesmo com uma análise mais criteriosa.

Portanto, para a factoring cabe a responsabilidade de não apresentar qualquer deficiência em sua análise, procurando se antecipar aos acontecimentos e tomando as decisões de aceitar ou não qualquer operação, buscando maximizar o lucro e reduzir possíveis perdas.

Os riscos são necessários para a factoring

Cabe lembrar que, mesmo havendo riscos nas operações de crédito, são exatamente eles que oferecem a lucratividade para uma empresa de factoring. Portanto, é preciso se expor de forma cuidadosa e planejada, se a empresa busca maiores lucros.

Dessa forma, não é conveniente para a factoring analisar os riscos apenas pelo lado negativo, o que, certamente, em algum momento, vai fazer com que não feche uma operação de crédito que possa ser rentável em razão de algum fato apresentado na análise de suas condições financeiras.

Conhecendo os riscos possíveis de qualquer operação é possível elaborar um planejamento para sua redução e criando uma situação mais segura para o futuro do empreendimento. Nesse caso, é importante lembrar que, mesmo em outros ramos de atividade, nenhuma empresa está segura o suficiente para não correr qualquer risco.

Os riscos fazem parte do dia a dia de qualquer empreendimento e, para a factoring é um fator decisivo na hora de aceitar uma operação de crédito e, portanto, o que se deve pensar é em tomar medidas para que os riscos se transformem em oportunidade de lucro.

Seja diferente, inove, evolua, escreva-se em nossa newsletter !


Em caso de dúvidas, entre em contato com a Tributus!

Sucesso e até logo.

Ainda possui alguma dúvida? Que tal entrar em contato com a Tributus?

Somos uma Empresa Contábil em São Paulo, especialistas no seu negócio para ajudá-lo.

Será um prazer conversar!

Acesse nosso Facebook: @grupotributus

Sucesso e até logo.

Assine nossa Newsletter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat