skip to Main Content
Tudo Sobre Factoring – O Guia Completo

Tudo sobre factoring – O guia completo

É comum entender o factoring como empréstimo, mas, se você pensa assim, está enganado. Por outro lado, é perfeitamente possível confundir os conceitos, e por isso, um guia completo com tudo sobre factoring se torna necessário.

A atividade tem como objetivo aumentar o fomento mercantil, e isso é feito por meio de uma série de serviços, que envolvem compra de créditos e otimização de performance financeira. Por sua relação com a área, é comum confundir o factoring com uma financeira que cede empréstimos, mas a realidade é um pouco mais complexa que isso.

Mas não se preocupe! O objetivo deste guia é justamente tornar o assunto simples. Mostraremos como começou o factoring, o que ele realmente é, como funciona e suas principais vantagens ou desvantagens.

Acompanhe os próximos parágrafos para que você entenda tudo sobre factoring e não tenha mais dúvida alguma sobre como funciona essa atividade de fomento comercial!

De onde veio o factoring?

Não há um consenso sobre a origem do termo, que pode estar presente desde a época do Império Romano, na Inglaterra do Século XVII ou no começo do Século XIX, nos Estados Unidos.

No Brasil, os primeiros registros da prática possuem menos de meio século, em 1982. Nesse ano, foi criada a ANFAC – Associação Nacional de Fomento Comercial -, responsável por difundir a prática, assim como prestar informações e representar as empresas do setor.

O que é factoring?

De acordo com a própria ANFAC, o factoring se caracteriza por meio da “prestação de serviços e compra de direitos creditórios originados de vendas mercantis ou de serviços”.

Os serviços aos quais o conceito se refere podem variar de uma empresa para outra. Normalmente, envolvem acompanhamento comercial e financeiro, como contas a receber ou contas a pagar. Exame de crédito no mercado, escolha de fornecedores e cobrança de inadimplentes também são exemplos.

Porém, a atividade principal do factoring é a compra dos direitos creditórios, que vamos falar mais à fundo nos próximos parágrafos.

O que é “compra de direitos creditórios”?

Podemos entender o factoring como uma modalidade de financiamento. Você recebe esse financiamento e, em troca, oferece à empresa de factoring parte de suas contas a receber. É isso que significa a compra dos direitos creditórios.

Pense que você trabalha em uma empresa e precisa de um adiantamento. Esse adiantamento é descontado do seu salário, certo?

Mas imagine que você é um vendedor dessa empresa e, ao invés de dar uma parte do seu salário, pede que esse adiantamento seja pago usando suas comissões de vendas.

É dessa maneira que o factoring funciona. A empresa de factoring compra o direito de receber o pagamento do seu cliente no seu lugar, agilizando a entrada de dinheiro no caixa.

O que diferencia o factoring de um empréstimo?

Como mencionamos no início do artigo, as empresas de factoring não operam como financeiras, já que não precisam ser regularizadas pelo Banco Central. Ou seja, não se pode caracterizar a atividade como empréstimo ou adiantamento.

Afinal de contas, você não está recebendo um capital para pagar à prazo. Na verdade, você não paga o serviço de factoring, apenas opta por não receber o valor de algumas vendas para receber o capital antes do pagamento que acertou com seu cliente.

Esse tipo de operação não está na alçada do BACEN, já que não temos o estabelecimento de uma dívida. Na verdade, a empresa de factoring também ajuda a proteger seu negócio contra a falta de pagamento dos devedores, já que também assumem o ônus da cobrança.

Confira Nossas Especialidades

Por que é interessante contratar uma empresa de factoring?

Por conta do seu objetivo de fomento comercial, ela facilita que empresas micro cresçam de maneira mais ágil, principalmente com seus primeiros clientes.

Se você tem uma empresa micro, é provável que o atraso no pagamento de um cliente tenha colocado sua operação em risco, certo?

Uma empresa de factoring pode evitar que corra esse risco, já que ela compra seu futuro faturamento. Ou seja, ela assume o risco e fica responsável pela cobrança.

Mesmo que seu negócio não corra riscos, usar a empresa de factoring pode ajudar a acelerar o ritmo de crescimento da sua empresa. Ao invés de ficar aguardando o pagamento de uma duplicata para, então, começar a investir no negócio, você já recebe o capital e pode continuar investindo na sua empresa.

Continuando nosso guia com tudo sobre factoring, conheça, abaixo, algumas das principais vantagens e desvantagens em usar o serviço!

5 Vantagens do factoring

Como mostramos no item anterior, a principal vantagem em contratar uma empresa de factoring está na agilidade em receber o capital que precisa para reinvestir no seu negócio.

Principalmente em micro empresas, que ainda não tem uma base sólida de recebimentos constantes para tocar a operação.

A segunda vantagem é a proteção contra potenciais devedores. Ao vender seu direito ao crédito, a empresa de factoring fica responsável pela cobrança, evitando que perca seu tempo cobrando dos clientes ou tome o famigerado “calote”.

Em seguida, uma das melhores vantagens: não compromete o seu negócio com empréstimos convencionais. Considere que o que está colocando em jogo são recebimentos futuros, não a obrigação de pagar uma dívida. Dessa maneira, você consegue o financiamento que precisa sem colocar o futuro do seu negócio em risco.

Como falamos na segunda vantagem, você não perde tempo com cobrança. Isso pode ser convertido em mais tempo para se dedicar ao desenvolvimento do seu negócio. Você não acelera apenas o capital que precisa receber para investir, mas tem um ganho real na produtividade.

Agora, a principal vantagem que ainda não contamos ao longo do artigo.

Fique atento, essa é a cereja do bolo.

Faz vendas à prazo?

Com o factoring, você pode receber suas vendas à vista!

Exemplo de uso do factoring

Por exemplo, imagine que você seja dono de uma loja de móveis e faça vendas no carnê e acabou de vender um dos principais sofás de sua linha principal. Ele custou R$ 4.000 e seu cliente optou por pagar em 10x, a partir do mês seguinte à compra.

Mas você tem um problema: sua loja ainda é pequena e os recebimentos mensais do carnê não permitirão que adquira mais sofás para vender. 

Ao invés de ir ao banco e pedir um empréstimo, você pode contatar uma empresa de factoring, que irá assumir o recebimento das parcelas, mas comprará essa dívida à vista com um pequeno desconto.

Com o recebimento à vista, você pode ordenar a produção de mais sofás para os clientes da sua loja!

Contabilidade Para Factoring - Contabilidade na Vila Mariana - SP | Tributus ContabilidadePowered by Rock Convert

Mas o que significa esse “pequeno desconto”?

Que “pequeno desconto” é esse?

Como mencionado, o factoring não é uma modalidade de empréstimo. Ainda assim, continuam a ser empresas comuns, que precisam pagar seus impostos e tem como objetivo lucrar e crescer. Por isso, o valor que recebe de uma empresa de factoring será sempre menor do que se não tivesse contratado.

A ANFAC estabelece 3,93% ao mês como preço referência para a compra dos direitos creditórios. Voltando ao exemplo mostrado anteriormente, isso significa que, a empresa de factoring irá descontar 3,93% de cada um dos boletos desse carnê.

Tudo Sobre Factoring O Guia Completa Text - Contabilidade na Vila Mariana - SP | Tributus Contabilidade

Veja a matemática do negócio abaixo:

Valor do sofá: R$ 4.000

Número de parcelas: 10

Valor de cada parcela: R$ 400,00

Taxa da empresa de factoring: 3,93% ao mês

Desconto de cada parcela: 3,93% de 400 = R$ 15,72

Desconto total: R$ 157,20

Valor a receber da empresa de factoring: 4000 – 157,20 = R$ 3842,80

Aviso: vale mencionar que o cálculo acima não considerou impostos sobre as operações. Logo, serve apenas como um exemplo não literal.

Quais impostos estão envolvidos no factoring?

No caso da operação tradicional de factoring – continue lendo o artigo para conhecer todas as modalidades! -, incidem cinco impostos diferentes. Na esfera municipal, temos o ISS, o Imposto Sobre Serviços. Consulte a taxa de ISS do seu município para fazer um cálculo mais preciso.

Os outros impostos são todos em âmbito federal. IRPJ e CSLL (Imposto de Renda Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, respectivamente), PIS e COFINS.

O IRPJ possui alíquota de 15% sobre o lucro apurado, com 10% adicional sobre parcelas de lucro que excederem os R$ 20.000 mensais. 

Já o CSLL, PIS e COFINS incidem sobre o faturamento. O CSLL cobra uma taxa de 9% sobre qualquer valor. O PIS e COFINS descontam uma taxa de 0,65% e 3%, respectivamente.

Vale lembrar que não há incidência de impostos estaduais sobre as atividades de factoring.

3 Desvantagens do factoring

Se é para falarmos tudo sobre o factoring, nada mais justo que esclarecer as suas desvantagens, não é mesmo?

A princípio, poderíamos contar as taxas acima como uma desvantagem do serviço. Porém, é importante entender que essa é uma cobrança justa, já que estamos contratando um serviço.

Por outro lado, é importante considerar que a taxa de juros praticado pelo factoring é superior aos do empréstimo. A contrapartida é que o uso do factoring não apresenta nenhum risco à sua empresa, já que no factoring você não contrai dívida, o que já acontece em uma operação de crédito convencional.

A segunda desvantagem do factoring é a incerteza. Como uma empresa, ela pode decidir por não financiar os direitos creditórios. Por assumir o risco da inadimplência, é possível que ela negue o financiamento devido ao histórico de pagamentos dos seus clientes.

Fechando a lista de desvantagens, temos o impacto na lucratividade. Por mais que o pagamento da taxa seja justa, sempre é melhor receber seus pagamentos na totalidade. Por isso, não abuse do factoring, já que seu uso implica em menos lucro para a sua companhia. Use-o apenas se tiver oportunidades que não pode deixar para depois.

Quais são as principais modalidades de factoring?

Existem diversas modalidades para o factoring no país. Conheça alguns deles nos parágrafos abaixo:

Tradicional – atua da forma que descrevemos ao longo do artigo. Ou seja, empresas de factoring tradicional apenas compram direitos creditórios e recebíveis de outras companhias. Apesar do factoring como um todo ainda ter pouca representatividade, o modelo tradicional é o mais adotado no país.

Trustee – os trustees também realizam a compra dos direitos creditórios de companhias, mas não se limitam a isso. Elas também podem realizar assessoria comercial e financeira para os clientes que vendem seus recebimentos.

Exportação – uma categoria especial, criada para empresas exportadoras que não contam com seguros ou subsídios de crédito para suas operações. 

Nessa modalidade, a empresa de factoring facilita o acesso à avaliação de crédito dos clientes internacionais de seu cliente.

Exemplo do factoring de exportação: a empresa de factoring A tem a exportadora B como cliente, que vende produtos para as companhias internacionais C, D e E. Para facilitar o trâmite internacional, a empresa A consegue acesso à avaliação de crédito das empresas C, D e E, informando essa avaliação ao seu cliente B.

Caso precise contratar uma empresa de factoring que trabalhe na modalidade de exportação, pergunte se ela possui parceria com empresas de factoring internacionais e com renome.

Regulamentação sobre factoring

Atualmente, não existe um órgão regulatório sobre a atividade de factoring, sendo um setor autorregulado. Para melhores práticas e informações sobre o setor, nossa indicação é a página da Associação Nacional de Fomento Comercial.

Como as atividades exercidas por empresas do setor não envolvem financiamento através de crédito ou criação de dinheiro, ela sai da alçada do BACEN – Banco Central. Por isso, é importante pesquisar sobre a credibilidade das empresas que encontrar e verificar se são associadas da ANFAC.

Tudo sobre factoring: não guarde o conhecimento para si!

Agora que entendeu como o factoring e suas diferentes modalidades funcionam, não deixe de considerá-las quando precisar de uma injeção de capital para agilizar o crescimento do seu negócio e aproveitar oportunidades.

Vale lembrar que, ao utilizar o factoring para impulsionar o seu negócio, você evita a contratação de empréstimos, que tem o potencial de comprometer o futuro de seu negócio.

Ao mesmo tempo, a modalidade causa um impacto maior em sua lucratividade. Por isso, é importante avaliar bem as opções antes de decidir qual das modalidades usará para impulsionar seu negócio.

Possui clientes que também vão se beneficiar ao saber tudo sobre factoring? Então não mantenha essas informações apenas para si e as compartilhe em suas mídias sociais e WhatsApp!

Ainda possui alguma dúvida? Que tal entrar em contato com a Tributus?

Somos uma Empresa Contábil em São Paulo, especialistas no seu negócio para ajudá-lo.

Será um prazer conversar!

Acesse nosso Facebook: @grupotributus

Sucesso e até logo.

Assine nossa Newsletter

Summary
Tudo sobre factoring - O guia completo
Article Name
Tudo sobre factoring - O guia completo
Description
É comum entender o factoring como empréstimo, mas, se você pensa assim, está enganado. Por outro lado, é perfeitamente possível confundir os conceitos, e por isso, um guia completo com tudo sobre factoring se torna necessário. A atividade tem como objetivo aumentar o fomento mercantil, e isso é feito por meio de uma série de serviços, que envolvem compra de créditos e otimização de performance financeira. Por sua relação com a área, é comum confundir o factoring com uma financeira que cede empréstimos, mas a realidade é um pouco mais complexa que isso.
Author
Publisher Name
Tibutus
Publisher Logo
This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top